Novo CD dos Racionais MCs

0

A ansiedade já toma conta dos fãs que esperam pelo novo disco de inéditas do grupo paulistano Racionais MCs e, como de praxe, as especulações são grandes em torno desse novo trabalho.
Uma das características mais marcantes deste grupo é não seguir o padrão convencional da indústria fonográfica. Seus discos não possuem previsão concreta para lançamento, tampouco intervalo entre um e outro definido com precisão.

No entanto, essa conduta desperta as mais variadas críticas sobre o grupo – positivas e negativas -. Uns apoiam essa política sob o argumento de que o grupo não se deve render ao sistema, ao passo que outros consideram um descaso para com os fãs.

Polêmicas à parte , o certo é que o grupo possui uma característica própria de não aparecer na mídia, não conceder entrevistas e não ter datas pré-fixadas para lançamento de trabalhos. A falta de marketing é o grande marketing do grupo.
Apesar da característica do grupo, seus discos batem recorde de vendas. “Sobrevivendo no Inferno”, lançado em 1997, vendeu mais de um milhão de cópias. O álbum duplo “Nada como um dia após o outro dia”, de 2002, vendeu mais de cem mil cópias só na primeira semana. Com esse novo disco, que ainda não tem nome definido, as previsões não são diferentes. Primo Preto, produtor e amigo de Mano Brown, informou ao portal G1 em 2007 que as expectativas eram as melhores possíveis. Na ocasião, Primo Preto dissera que o disco seria lançado em 2008, o que acabou não acontecendo.
Em janeiro deste ano quando o grupo esteve em Brasília para uma apresentação, Mano Brown disse ao Portal Cultura Hip Hop que há grande chance do disco ser lançado no segundo semestre de 2009, mas que ainda há músicas em processo de finalização e que as datas são apenas estimativas. Por outro lado, a ansiedade do público pode ser reduzida com a audição das novas músicas que já caíram na internet. “Mulher Elétrica” e “Tá na Chuva” são algumas faixas que já circulam pela rede mundial de computadores.
Quem teve a oportunidade de escutar as novas faixas pôde perceber o grupo se modernizou e que abandonou – ao menos é o que se percebe – a linha gangsta. As letras passaram a abordar outros temas e não apenas os problemas sociais, mostrando a evolução do grupo e o comportamento consciente ao mostrar que o rap pode se expandir além das tradicionais barreiras impostas. “Mulher Elétrica” exalta a mulher e a retrata de uma forma positiva, posicionando-se contra o machismo predominante até então. “Tá na chuva” tem colagens de Jorge Bem e James Brown estreitando as relações do rap com outras vertentes musicais, o que, aliás, vem sendo feito com cada vez mais frequência pelos rappers na atualidade.
Ao público em geral resta apenas aguardar o lançamento do disco que agora tem previsão para ser lançado no segundo semestre do corrente ano. Tomando como base os lançamentos anteriores, pode-se concluir que vale a pena esperar.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here