Festival de dança de rua resgata a auto-estima

0

Eurico Nobre é o organizador do projeto de cultura No próximo domingo, 09, acontece o 2° Festival de dança de rua, a partir das 15h, no Ginásio Darcy Ribeiro da Praça de esportes, com muito Stree Dance, B.Boy, Hip Hop, Funk, Rap e outros.

De acordo com o organizador do evento, Eurico Nobre, o objetivo principal é resgatar a auto-estima dos jovens, incentivar a arte e a cultura, além de inserir no calendário cultural da cidade o dia do Hip Hop.

(Eurico Nobre é o organizador do projeto de cultura)

Eurico Nobre é o organizador do projeto de cultura.

– São principalmente jovens de comunidade carentes da periferia que sofrem com o preconceito e a desigualdade social, pelo jeito de vestir e estilo de música. Como prova do bom desenvolvimento do trabalho, a primeira edição do festival foi muito boa, pois finalmente havíamos encontrado o objetivo que os jovens queriam, um espaço para mostrar seus trabalhos. Desde o primeiro festival em 2006, estamos realizando este trabalho, sendo bem aceito pelo público, com o sucesso do evento, que contou com a participação de mais de 2.000 pessoas e, a pedido dos grupos de dança, a coordenação do festival, juntamente com as partes interessadas, pretende inserir o evento no calendário cultural da cidade de Montes Claros – explica.

Sabendo que a arte e a cultura transformam vidas, e com o objetivo de incentivar os grupos, valorizando o seu trabalho, o festival ainda contribui para melhorar a qualidade de vida das comunidades carentes, já que é um evento de caráter beneficente, tendo como ingresso alimentos não perecíveis, doados às famílias carentes dos bairros periféricos de Moc.

O coordenador do festival, Eurico Nobre, nasceu no Conjunto Cidade Cristo Rei, e sempre acompanhou o desenvolvimento dos jovens na comunidade.

– Há oito anos venho desenvolvendo, na área social, um trabalho com crianças carentes do bairro, realizando aulas de dança de rua e artesanato. Sendo assim, é possível lutar contra a criminalidade, e foi nessa luta que sentimos a necessidade de ter um espaço para mostrar o nosso trabalho. Decidimos fazer um festival que hoje está fazendo sucesso – diz.

Eurico também fala que o festival contribui para a melhoria de vida das comunidades carentes, onde também acontece o recolhimento de alimentos não perecíveis e doados para as famílias, despertando o interesse artístico dos jovens.

– Precisamos apoiar e incentivar esse tipo de trabalho, voltado para a cultura e o social, senão sempre vamos encontrar dificuldade para conseguir realizá-lo. Acredito que a juventude é a esperança de um mundo melhor, e vamos lutar sempre para uma humanidade mais justa, humana e igualitária – argumenta.

De acordo com Elton Santana Gonçalves, o primeiro festival realizado foi muito bom, quando aconteceu uma interatividade dos participantes.

– O festival é um dos melhores, muito importante para nós. Tem mais público e concorrentes, estamos correndo atrás para que a nossa concorrência seja boa – fala.

Elton é integrante do grupo Dont Stop há quase cinco anos. Ele fala que o grupo surgiu com duas pessoas que sonhavam com a dança.

– O objetivo do nosso grupo é mostrar que somos iguais e que lutamos por um ideal. Lutamos pela dança de qualidade – argumenta.

Os grupos amadores ou profissionais que melhor se apresentarem nos oito minutos por grupo, ganharão uma premiação de incentivo. Para mais informações sobre o festival é pelos telefones (38) 2104–5777 ou (38) 9953–3529.

Michelle Tondineli
Repórter

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here