Hip Hop e dança de rua na abertura do 27ª Festival de Dança de JoinvilleGrupo paulista Discípulos do Ritmo e os franceses do S’poart encantaram a plateia.

Troque as sapatilhas pelo tênis. As malhas justas por camisetas e calças largas. O gel do cabelo pelo boné ou pela bandana. Junte todos os ingredientes e leve a uma platéia sedenta por um espetáculo de qualidade.

Assim foi a estreia da 27ª edição do Festival de Dança, a noite em que o hip hop emocionou e surpreendeu o público do Centreventos Cau Hansen. Os olhos da plateia não esconderam o impacto de uma estreia diferente.

Nesta quarta-feira o dia foi de hip hop francês, executado por seis bailarinos dispostos a inovar, e de hip hop nacional, comandado por um grupo paulista cheio de talento e bom humor.

Os paulistas do grupo Discípulos do Ritmo foram os primeiros a subir ao palco. Com elasticidade, graça e carisma, eles mostraram toda a força do ritmo no espetáculo “Geometronomics”.

Já a companhia francesa S’poart cumpriu a missão de levar reflexão ao público. Quem esperava grandes acrobacias, daquelas de levar o público ao delírio, ficou espantado com uma performance oscilando entre o leve e o intenso, embalada por um som suave composto pelo músico Julien Camarena.

No cenário, objetos que serviam quase como obstáculos à movimentação dos bailarinos. O espetáculo “In Vivo” mesclou o contemporâneo à força, à agilidade e à rapidez exigidas pelo hip hop.

O Festival segue, nesta quinta-feira, com a primeira atração da mostra competitiva: o balé clássico de repertório e a dança contemporânea.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here