Instituições como a Pinacoteca do Estado, Museu de Arte de São Paulo (Masp), Museu de Arte Moderna (MAM) e Cinemateca se uniram em uma parceria denominada São Paulo Polo de Arte Contemporânea, que tem como objetivo estender para um circuito paralelo o tema da Bienal deste ano, que aproxima arte e política.

Com isso, de setembro a dezembro, período em que acontece a Bienal de São Paulo, a cidade viverá período fértil em relação a exposições de arte contemporânea.

Alguns museus selecionaram para esta programação especial mostras individuais de artistas como Antonio Manuel, na Pinacoteca do Estado; Mira Schendel, no Instituto de Arte Contemporânea; e Rebecca Horn, no Centro Cultural Banco do Brasil.

Entre as coletivas, o Masp fez uma seleção para o período com o melhor da arte contemporânea alemã, enquanto o MuBE vai sediar a Bienal Internacional – Graffiti Fine Art, evento que terá obras de 50 artistas nacionais e internacionais, mais debates, palestras e uma mostra de cinema sobre o grafite.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here