Da rua para a escola, diferentes linguagens na expressão corporal.

Introdução: Faria Junior e Vilela (1999) enfatizam que a dança é uma modalidade e um meio importante de manifestação artística que possibilita a ação pedagógica ao oportunizar a aquisição de habilidades físicas, a construção de conhecimento e a consciência crítica. A Dança de Rua vêm resgatar a atenção e o interesse dos jovens pela dança.

danca_de_rua_escolaObjetivos: Incentivar a prática da Dança de Rua no ambiente escolar, buscando um maior envolvimento dos jovens, não só como realização de uma atividade física, mas também buscando uma reflexão sobre preconceitos, valorização e conhecimento da cultura.

Revisão de Literatura: “Trabalhar a partir das representações dos alunos não consiste em fazê-las expressarem-se, para desvalorizá-las imediatamente. O importante é dar-lhe regularmente direitos na aula, interessar-se por elas, tentar compreender suas raízes.” (Perrenoud, 2000).
Morgada Cunha (1992) cita que “a dança criativa possui características, valores e finalidades eminentemente educativas, por isso ela deveria integrar currículos escolares desde a Pré-escola até a Universidade”.
Dionísia Nanni (2002), afirma que a evolução da dança por meio da história não é aleatória. Obedece a padrões sociais e econômicos, ou nascem da necessidade latente do homem de expressar seus sentimentos e emoções, desejos e interesses, sonhos ou realidade, por meio das diversas formas de dança.
De acordo com Fahlbusch (1990), para manifestar suas emoções e exteriorizá-las, o homem recorreu ao movimento, ao gesto, é a dança em sua forma mais elementar.

Conclusão: A dança foi uma das primeiras formas de expressão artística e pessoal, é fundamental para o homem, é o conhecimento de si mesmo e de sua evolução. É o conhecimento de sua própria história e de seu povo. A Dança de Rua resgata este autoconhecimento, busca em sua cultura a manifestação de seus sentimentos e emoções, é uma modalidade que possui liberdade de criação, sempre contemporânea e que desperta cada vez mais o interesse dos educadores, sendo valorizada e respeitada fora e dentro das escolas.

Referências Bibliográficas:
– RIBEIRO, M. das G. C.; FARIA JUNIOR, A. G. de; VILELA, M. C. Dança e atividade física. In: FARIA JUNIOR. Uma introdução à educação física. Niterói: Corpus, 1999.
– PERRENOUD, P. Tradução Patrícia Chittoni Ramos. Dez novas competências para ensinar: convite à viagem. Partes Alegres: Artes Médicas Sul, 2000.
– CUNHA, Morgada. Dance Aprendendo, Aprenda Dançando: Sagra, 1992.
– NANNI, Dionísia. Dança Educação: Pré – Escola à Universidade: Sprint, 2002.

– FAHLBUSCH, H. Dança moderna-contemporânea. Rio de Janeiro: SPRINT, 1990.

– Revista Dança Brasil: DBeditora , Fevereiro e Maio de 2010

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here